Arquivo da tag: ciclofaixa

Massa!

watch?v=QDmt_t6umoY&feature=player_embedded

Anúncios

De domingo, ciclofaixas …

Foto Adriano;

Festa, balão, comemorando uma política na contramão da inclusão de bici na cidade. Terça passada, dia de milhares de ciclistas pedalando na marginal a prefeitura não se dignificou a fazer a ciclofaixa funcionar. Nem isso… já que no dia a dia ciclistas têm de enfrentar o caos da cidade sem ajuda alguma.

Nesse dia centenas de ciclistas sairam da usp pela ciclofaixa em direção parque do povo, outros tantos seguiam pela direita, e não raro atravessavam uns de lá pra cá e de cá pra lá. Uma zona!

Por mais que seja uma boa coisa dar as pessoas oportunidade de pedalar aos domingos com segurança, essa ciclofaixa cria hábitos perigosos para quem quer vir a fazer uso da bicicleta na cidade. Aqui têm umas dicas bacanas pra quem quer usufruir do prazer de  pedalar na cidade.

Cálculos

Pensei durante o dia no valor 10 milhões de reais, 10.000.000… dividi esses pelos 14 mil metros e deu mais de 714,28 dinheiros por metro. Muitos dinheiros para o metro de ciclovia, demais para minha cabeça.

Quanto sinalizaríamos de vias se apenas pintássemos faixas simples à direita das ruas com este mesmo valor? 50 por metro, 100? Com 100 por metro dá 100 km’s de faixas.

Faltam verbas em inúmeras áreas, para dizer o básico em saúde e educação. Ai não há fim para dinheiro, o que entrar pode ser bem gasto. Um exemplo para se pensar; uma viagem bem elaborada para estudar a mata atlântica quanto não gasta para uma classe?  Se gastaria muito para todos os alunos da rede pública toda, e seria dinheiro muito bem aplicado. Mas não há esse.

O que é arrecadado por impostos é um dinheiro precioso, escasso e precisa ser investido de forma a trazer o máximo de benefícios. Diz um professor que “Na vida pública não podemos fazer o mesmo que na privada!“.

Pensei na peça publicitária que segue. Uma situação irreal onde o ciclista pedala por campos de flores num belo dia de sol, diga-se de passagem, em uma ciclovia inacabada. Como o ciclista Walter foi até lá? E onde vai descer do metro, qual será a situação?

Onde gastaram tanto dinheiro? Afinal os acessos já estavam prontos, a pista também. Pintaram e colocaram grades, precisava ser tão caro?

Ciclovia da Marginal, legal!

Uma nova ciclovia existe em São Paulo, todos viram, certamente um motivo de alegria para todos os que têm apreço pelo ciclismo. Seja para aqueles que fazem uso da bicicleta para o esporte e lazer, seja para aqueles que a utilizam como meio de transporte.

Por incrível que pareça ela é linda. O cheiro do rio pouco incomoda, pode ser que se torne mais forte em dias de sol intenso e tempo seco. Mas nada que o sentimento alegre de reconquistar as margens de um dos maiores rios da cidade não supere. Olhando de forma mais atenta percebemos no entanto que há muito a ser melhorado, as margens  estão sujas, os acessos à ciclovia são escassos, dois apenas… datas para outros acessos não foram divulgadas.

Se você não tiver a sorte de morar em Jurubatuba e trabalhar na vila olimpia, ou o contrário, não poderá utilizá-la no seu dia a dia. E terá de enfrentar as ruas violentas da cidade assim, como estão. A guerra continua entre aqueles que por São Paulo transitam.  Muitas regras são deixadas de lado dando privilégios àqueles que possuem carros, satisfazendo suas necessidades momentâneas. Se em cada acesso a ruas tivéssemos uma lista de regras como essa, as ruas se tornariam mais seguras, pois seria um exercício de paciência lê las antes de partir. E paciência é coisa que o trânsito de São paulo certamente precisa.

Ali, percebendo a ciclovia, tive um sentimento estranho, um confuso de alegria e tristeza. Pensei que além dos 10 milhões de reais que foram investidos para torná-la operacional, muito dinheiro foi gasto com o evento realizado para inaugurá-la.

Talvez tanto que desse para sinalizar mais 14km de ciclofaixas simples nas bordas de algumas ruas.

Seja como for, por mais bacana que seja a ciclovia,  por mais que as ações tomadas por nossos governantes possam ser cheias de boas intenções, as políticas para a bicicleta continuam na contramão daquilo que os ciclistas precisam em seu dia a dia.

Precisamos de infra para as bicicletas sim, precisamos que as leis referentes a bicicleta, principalmente a distância lateral de 1,5 metros para que os outros veículos nos ultrapassem sejam cumpridas. Uma seta dos carros às vezes ajuda também, mas precisamos mesmo é de respeito. E isso falta de todos com todos.

Uma criança pequena para ser educada precisa de regras, limites. Estabelecer limites é um ato de amor dizem muitos psis. Os limites para quem transita são as multas de trânsito, que fazem com que os cidadãos não se acostumem a acelerar no amarelo, que não ultrapassem o vermelho ou ignorem a faixa de pedestres. Quem fez a carteira de motorista entendeu as regras e depois, pela falta de multas, aprendeu que as regras podem ser diferentes. Mas não devem, pois isso lá na frente custa muitas lágrimas.

A nova ciclovia é louvável, mas as ações são MUITO TÍMIDAS. Quantas ruas foram recapeadas nos últimos temos? E nem uma ciclofaixa… O governo infringe sua própria lei ao não incluir a bicicleta no viário ao reformar uma rua. Desculpe, não consigo me sentir satisfeito com estes lindos 14 km’s da nova ciclovia.

Conhecendo a ciclofaixa!

A ciclofaixa têm tido um fluxo grande de ciclistas. Muitas vezes são familias inteiras curtindo esta pequena faixa do espaço publico destinado neste breve espaço de tempo a pessoas. Durante 5 horas, menos de 3,5% da semana os ciclistas podem pedalar com segurança neste pequeno trajeto.

E os outros 96,5% da semana? E as ruas que levam à ciclo-faixa? Temos muito trabalho para tornar essa cidade minimamente decente para ciclistas, e certamente essa TÍMIDA decisão política trará reforços a essa frente de batalha.