Arquivo da tag: água

Xingu somos nós!

idéia velha, descarga nova!

hj é dia mundial da água, e como não tenho uma descarga com válvula que economiza água,  finalmente fiz algo simples  pra economizar água.

Agora, com essa garrafa ai dentro, a cada descarga uso quase três litros menos de água. Um pequeno passo a mais para diminuir minha pegada.

Segundo a ONU são 1,8 milhões de mortes no ano por falta de água potável, o relatório se chama “água doente”. É assustador!

Dia mundial da água

A água é um recurso escencial para a vida. Muitos são os estudos sobre a importância de se beber um minimo de 1,5 litros de água ao dia para manter a saude.  Hoje em dia a água que deveria ser um direito de todos se tornou uma mercadoria. Um amigo escreveu sobre a questão da água engarafada a algum tempo.

Em Nova York, a água vem das montanhas de Catskill, onde foi realizado o festival de Woodstok. Eles pagam para que os fazendeiros daquela região, a 200km, não sujem suas águas. São produtores de água. Aqui a mesma coisa está sendo feita para a cidade de São Paulo, a cidade paga para que produtores rurais de Extrema, sul de minas não sujem suas águas. Não sujar as águas sempre foi e sempre será mais barato que limpá-las depois de sujas.

A maior parte dos ciclistas conhece o video, mas não custa repeti-lo.

o blog the aquaduct traz mais informações.

A importância de água limpa é imensa também nos oceanos.

Em 1953 pescadores da baía de Minamata (Japão) passaram a exibir sintomas de uma doença conhecida como chapeleiro maluco, timidez, irritabilidade, ansiedade excessiva seguidos por transtornos mentais e a morte.

Como relatado no livro “uma terra somente”, a razão é simples. Os mariscos consumiram o mercuriato de metila, os pescadores comeram os mariscos, e o veneno ainda mais concentrado, alojou se em seus cérebros.

Portanto cuidarmos da água é cuidar de nosso futuro.

Km 7

A ciclovia da marginal é uma enorme conquista, sem sombra de dúvidas. A Renata Falzoni contou que à pelo menos 22 anos existe uma luta forte para a concretização desta. Fui lá curtir um fim de tarde, levei um lanche, um livro e sentei nas margens do imponente rio Pinheiros.

Muito bom fazer isso. Ver familias curtindo uma pedalada.

Amigos praticando esporte em paz.

Ou simplesmente pessoas curtindo sua cidade de um novo ângulo.

Alguma atenção devemos num futuro próximo dedicar ao lixo da margens, e a velocidade dos carros de serviço que por ali circulam. Na verdade até deveríamos repensar a necessidade destes pois já existem marcas de frenagens fortes por lá.

Km7, o meio da ciclovia. Nem perfeito que mereça uma salva de palmas, nem ruim que valha uma vaia, simplesmente estamos a caminhar. O caminho ainda será longo para tornar a cidade ciclável para todos. Quando sai da ciclovia tive a impressão que um Sr. que vinha na direção contrária estava a voltar do trabalho. Não consegui tirar a máquina a tempo, mas senti que estamos mais para o meio do caminho do que estávamos.

Continuemos pedalando!

fechem as torneiras

Hj a chuva foi brava, como geralmente têm sido. Estive preso no trânsito por mais de uma hora para andar duzentos metros (atravessar a ponte da cidade jardim) desesperador…

Alagou o acesso a marginal, o túnel para ir direção nove de Julho e Av. Europa também, cada pequeno metro que andava alguém tentava se enfiar na frente tentando ir um pouquinho a mais, como se adiantasse.

Enquanto estava ali, de saco na lua, fiquei pensando se o inverno nos trará uma seca equivalente às chuvas. Tomara que não, pois o troço será feio. Um amigo fez um post sobre águas engarrafadas. Estou pensando se logo não vão passar a vender água assim para tomar banho.

Na década de 60 em nova york o então secretário da sabesp x³ decidiu que ao invés de montarem uma nova estação de tratamento de água passariam a pagar para agricultores da região de catskil (onde se passou o esisódio de woodstock) para que não sujassem sua água e essa pudesse ser consumida em ny. Hoje eles têm uma água de excelente qualidade nas torneiras.

Inspirado nisso o governo da cidade de São Paulo junto de instituições internacionais passaram a pagar pela produção/conservação de água em extrema MG. Quem sabe teremos água boa em quantidade suficiente na capital paulista.

Mas por enquanto, fechem as torneiras que logo o inverno seco tá por ai.